Sobre o Autor

Olá, chamo-me Vitor Duarte, e em 2014 descobri uma coisa muito importante.

Descobri que apesar de ter aprendido e acreditado a vida toda que devemos julgar e tirar conclusões com base em tudo menos na aparência de uma pessoa, na verdade, no mundo real não é bem assim.

Tinha acabado o meu percurso universitário e como qualquer estudante de origens humildes e com pouca paciência para modas, vestia-me com o que houvesse, o que geralmente consistia em calças de ganga rasgadas e t-shirts de bandas de música pesada.

Quando tive de ir a uma entrevista para poder ingressar no estágio curricular que me permitiria concluir o curso, apercebi-me que dispunha de muito pouco para me apresentar de forma respeitável para um possível empregador.

Tive a oportunidade de ir a uma entrevista de grupo para um banco nacional. Fui o mais formal que consegui. Uma calças pretas de ganga e uma camisa branca. Sapatos pretos… de sola quadrada. Terrível…

Na segunda entrevista fui da mesma forma. O mais formal que pude, veja-se. A entrevista correu bem. Até certo ponto. A determinada altura questionaram-me se a aparência seria importante.

Nessa altura eu soube que já era. Defendi-me, argumentei e até consegui manter a entrevista por mais um minutos. Mas disseram-me: “(…)é o melhor candidato até agora. Mas devia ter vindo de fato e gravata. Obrigado.”

Este acontecimento teve um impacto profundo na minha forma de pensar, e decidi que tinha de mudar. Foi então que comecei a minha jornada para aprender a utilizar a imagem para causar a melhor impressão possível. Tenho a certeza que só pode causar uma primeira impressão uma vez. Só tem uma chance.

Certamente saberá que a primeira impressão para além de muito importante, é muito complicada de alterar.

Acabei por gostar muito mais de aprender sobre a arte de bem vestir do que pensava, e comecei a esticar-me para o estilo clássico masculino, e a prestar atenção a detalhes que podem fazer ou desfazer completamente um outfit.

Decidi então partilhar neste blog tudo o que aprendi, e continuo a aprender todos os dias.

Espero que goste das experiências, ideias e artigos que escrevo, e que continue a ser um bom homem.